Carlos Chagas Medicina Laboratorial

Vacinas

As vacinas são produtos biológicos que protegem os indivíduos contra certas doenças. Podem ser fabricadas a partir de partes dos microrganismos que estimulam o seu organismo a constituir sua proteção.

Vacinas

Quando o indivíduo é vacinado (ou “imunizado”), o seu organismo tem a oportunidade de prevenir a doença sem os riscos da própria infecção. O organismo do paciente desenvolve proteínas protelaras chamadas “anticorpos” que destroem o microrganismo.

O organismo pode guardar na memória como produzir esses anticorpos durante muito tempo, muitas vezes a vida toda. Desta forma, se o paciente estiver exposto novamente à doença, os anticorpos serão capazes de inibir os microrganismos antes que eles encontrem uma forma de causar a doença.

Por que vacinar?

As vacinas provavelmente salvaram muito mais vidas do que qualquer outro tipo de medicamento na história. Estima-se que as vacinas poupam mais de 3 milhões de vidas a cada ano, e poderiam poupar muitos milhões a mais se todos recebessem as vacinas adequadas.

As vacinas fazem mais do que apenas salvar milhões de vidas a cada ano. Ao prevenir doenças graves:

- As vacinas protegem milhões de pessoas contra a dor, sofrimento e mesmo incapacitação permanente.
- As vacinas poupam dinheiro para os indivíduos e para a sociedade, ao reduzir os custos com doença, por exemplo, medicamentos, cuidados hospitalares e perda de tempo de trabalho.
- As vacinas reduzem a velocidade de disseminação da doença.
- Graças às vacinas, algumas das doenças que costumavam levar a óbito ou incapacitar milhares de pessoas são hoje bastante raras na maioria dos países (coma a pólio), ou mesmo foram eliminadas (como a varíola).
- As vacinas ajudam a prevenir a resistência aos antibióticos. Ao prevenir as doenças, as vacinas reduzem a necessidade de drogas que combatam os microrganismos. Isto ajuda a manter a eficácia dos antibióticos, porque quando um antibiótico é usado de forma inadequada para tratar uma doença específica, ele pode perder a sua eficácia. O microrganismo causador daquela doença sofre mutação e o antibiótico não é mais eficaz. Quando uma doença é prevenida por uma vacina, os antibióticos podem ser prescritos com menor freqüência, dificultando o desenvolvimento da resistência.

Quais são as vacinas de rotina na infância e contra quais doenças elas oferecem proteção?

Doença Pneumocócica
Este tipo de doença é causado pela bactéria Streptococcus pneumoniae causa de pneumonia, sepse, meningite e sinusite em crianças, principalmente naquelas com menos de 2 anos de idade. Os pneumococos também causam milhões de infecções de ouvido a cada ano.
Vacina: Pneumocócia conjugada.

Meningite (C)
A meningite é causada pela bactéria Neisseria meningitidis. Como o Hib e o penumococo, esta bactéria pode causar meningite, sepse, incapacidade e morte. A bactéria da meningite pode infectar qualquer pessoa, mas é especialmente mais danoso para crianças com menos de 1 ano de idade e adolescência. A vacina conjugada contra a meningite pode ser usada em bebês a partir dos 2 meses e deve conferir proteção de longo prazo.
Vacina: Meningocócica conjugada do grupo C.

Hepatite B
Este vírus pode causar doenças hepáticas graves, tais coma hepatite, cirrose e câncer. Muitas pessoas infectadas não se sentem doentes nem aparentam estar doentes. Podem disseminar a doença para outros através do contato sexual, exposição ao sangue ou exposição no paria se a mãe estiver infectada.
Vacina: Hepatite B.

Difteria
A difteria causa dificuldades respiratórias, lesões aos órgãos e paralisia. Uma em cada dez crianças com difteria pode virar óbito.
Tétano
O tétano é uma bactéria que vive no solo e geralmente entra no organismo através de feridas abertas. Libera uma toxina que pode causar lesões que complicam em morte.
Coqueluche (“tosse comprida”)
Doença contagiosa das vias aéreas que matou milhares de crianças a cada ano e causou doença grave em centenas de milhares antes da vacina.
Vacina: DtaP  (difteria, tétano e coqueluche acelular).

Meningite por Hib.
Hib é a abreviação de Hoemophilus influenzae tipo b, uma bactéria que infecta a membrana que reveste o cérebro e causa meningite. A bactéria também pode causar sepse. As complicações incluem a morte e seqüelas permanentes.
Vacina: Hib.

Pólio
Os casos graves resultam em paralisia de membros ou mesmo a morte. A pólio foi quase erradicado em muitos países, mas ainda é comum na Ásia e África; existe ainda o risco de ser disseminado por viajantes.
Vacina: Pólio.

Sarampo
O vírus do sarampo habitualmente provoca tosse, febre, coriza e erupção cutânea. Às vezes resulta em pneumonia, que pode ser bastante grave.
Caxumba
O vírus da caxumba causa edema das glândulas logo abaixo da ouvido. Em alguns casos a caxumba pode levar à meningite, causar surdez e outros danos como seqüela.
Rubéola
O vírus da rubéola causa sintomas semelhantes aos do sarampo. Às vezes afeta o cérebro, causando encefalite. A rubéola é muito danosa para mulheres grávidas não vacinadas: 85% das mulheres que tiveram rubéola no início da gravidez poderão ter crianças com anomalias ao nascimento.
Vacina: MMR (sarampo, caxumba e rubéola).

Catapora
A catapora causa uma erupção cutânea representada por vesículas vermelhas. Não é, de modo geral, uma doença grave na infância, mas pode apresentar risco para adultos.
Vacina: varicela.

Perguntas frequentes sobre as vacinas

Ninguém que eu conheça teve essas doenças. Porque então essa preocupação em vacinar-se?

O motivo pelo qual tão poucas pessoas são acometidas por essas doenças é porque muitas têm sido vacinadas contra as mesmas! Doenças como rubéola, caxumba, varíola, Hib e tosse comprida estão longe de terem sido eliminadas. Quando os programas de vacinação são cortados, essas doenças perigosas ressurgem.

As vacinas podem causar doenças?

Não! Todas as vacinas às vezes causam pequenos efeitos colaterais como, por exemplo, dor leve no local da injeção ou febre moderada. Esses problemas não são normalmente graves e não duram muito tempo. Efeitos colaterais graves são raros com as vacinas modernas.

Os riscos da vacina são pequenos, porém os riscos por não receber a vacina são graves. Deixar de ser vacinado expõe o indivíduo a doenças perigosas que podem causar danos ou mesmo matá-lo.

Devo ficar preocupado com o timerosal?

Algumas pessoas têm manifestado preocupação como timerosal um conservante que é usado para garantir que as vacinas não apresentem microrganismos indesejados. Pequenas quantidades de timerosal foram usadas com segurança nas vacinas desde os anos 30, sem nenhuma evidência de dano. Devido a mudanças nos sistemas de fabricação, atualmente muitas vacinas não contêm mais timerosal.

Quem deve ser vacinado?

Bebês e crianças de baixa idade precisam de uma certa quantidade de vacinas, iniciando logo após o nascimento. Muitas dessas vacinas precisam ser ministradas mais de uma vez a fim de conferir proteção completa. Os adolescentes e os adultos precisam dessas vacinas também. As pessoas podem se beneficiar da proteção da vacina durante toda a vida, as novas vacinas estão sendo desenvolvidas constantemente para proteger contra doenças perigosas que podem afetar qualquer um. Pergunte ao seu médico se não há vacinas que você deveria tomar para reduzir o risco de contrair uma doença grave.

As vacinas realmente funcionam?

Sim! Existe comprovação de que as vacinas funcionam. Por exemplo, há dez anos um microorganismo chamado Hib era a principal causa de meningite em crianças pequenas no mundo todo. Nos anos 90, uma técnica especial chamada conjugação ajudou a criar vacinas seguras e eficazes contra Hib. Em todos os países nos quais as vacinas Hib foram incluídas no esquema rotineiro de imunização, as doenças quase desapareceram!

Não é preferível deixar o próprio organismo desenvolver sua imunidade natural?

As vacinas permitem que o organismo desenvolva sua imunidade natural... é exatamente assim que funcionam! As vacinas expõem o organismo a uma forma controlada, segura, do microrganismo que estimula o paciente a construir a sua própria imunidade sem correr o risco da doença.

Porque há necessidade de várias rodadas de vacinação?

Porque as crianças necessitam de várias vacinas, e algumas delas precisam ser dadas em idades diferentes. Outro motivo é devido ao fato que algumas vacinas precisam ser administradas mais de uma vez a fim de fornecer proteção total contra a doença.

Calendá de Vacinas 2017

iTSITES